C

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Tomba destaca na Assembleia manifestação em prol da Vaquejada

Representando a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte na manifestação “Grito do Vaqueiro” que ocorreu em Brasília nos dias 24 e 25, em defesa das vaquejadas, o deputado Tomba Farias (PSB) fez uso da tribuna para reforçar o apelo na defesa da atividade que gera emprego e renda para milhares de famílias no RN e no Nordeste. 

 “A decisão do Supremo Tribunal Federal foi um equívoco e lá tivemos a oportunidade de defender todas as famílias que tiram daí o seu sustento, criam seus filhos e lutam para ter uma vida digna”, afirmou o parlamentar. 

Tomba contou que na ocasião foi entregue ao Ministro da Agricultura um documento mostrando as mudanças a fim de melhorar as condições dos animais. 

 “O movimento que aconteceu em Brasília encheu os olhos dos nordestinos e daqueles que acreditam que a decisão contrária foi um grande equívoco. Lá tivemos a oportunidade de levar a nossa palavra. 

Nos preocupamos com os maus tratos aos animais e nesse sentido foram feitas várias mudanças, como retirada das esporas, a questão da alimentação e água, o colchão de areia com mais de 50 centímetros de altura e os cuidados com os ferimentos”, destacou Tomba. 

O parlamentar viajou acompanhado de uma comitiva, composta por dirigentes de entidades, como a Associação Norte-Rio-Grandense de Cavalos Quarto de Milha e Associação dos Vaqueiros Amadores do Rio Grande do Norte, além de criadores e praticantes do esporte. 

Tomba lembrou que a vaquejada tem uma tradição secular.

 “Estamos aguardando com muita tranquilidade a sensibilidade do Ministério da Agricultura”, disse. 

 O agravamento da seca reforça a preocupação do deputado com a renda das famílias que vivem da atividade. 

“Num momento como esse, não saiu ninguém se preocupando com a seca e inclusive falei sobre a morosidade da adutora de Caicó, que irá fornecer água a 60 mil habitantes e citei as dificuldades que a gente tem para receber os recursos para as obras hídricas”, justificou. Em aparte, os deputados Hermano Morais (PMDB), Vivaldo Costa (PROS), Getúlio Rêgo (DEM), George Soares (PR) e Ricardo Motta (PSB) também defenderam a atividade.

 “A bacia leiteira do Seridó, a maior do RN, está praticamente dizimada pela seca, então seria importante que o Supremo Tribunal Federal se associasse nessa luta”, disse Vivaldo.

  Para o deputado Hermano Morais, a situação gera revolta e comoção, como mostrou a mobilização em Brasília.

 Getúlio Rêgo destacou que a atividade é secular, envolve outros segmentos da sociedade e seu fim geraria uma grande repercussão social. 

Na avaliação de George Soares o ato em Brasília mostrou a mobilização de um setor importante que fornece impostos e empregos, colaborando com a economia.

 “O fim da vaquejada não é solução para nenhum problema, mas o início de um grande caos econômico e social”, finalizou Tomba.

Nenhum comentário: