Pesquisar

odonto

odonto

segunda-feira, 13 de março de 2017

Mais um fugitivo de Alcaçuz é preso por morte de PM em shopping no RN

G1/RN
Mais um fugitivo da Penitenciária Estadual de Alcaçuz foi preso suspeito de participar do assalto que terminou com a morte do policial militar Daniel Pessoa, em Natal. O PM foi morto durante um assalto a uma joalheria em janeiro.
O preso chama-se Francisco Danilo Nunes Aquino. Ele é o quarto suspeito de envolvimento no crime. A prisão aconteceu neste domingo (12) em uma casa no bairro Cajupiranga, em Parnamirim, cidade da Grande Natal.
Os outros três suspeitos são um lutador de muai thay, preso na última quarta-feira (8) em Belém (PA), e outros dois fugitivos de Alcaçuz, que foram presos na quinta (9) em São Gonçalo do Amarante, também na Grande Natal.
De acordo com policiais civis da Delegacia Especializada em Furtos e Roubo (Defur), no momento da prisão, Francisco Danilo correu para a cozinha da casa e ficou escondido dentro de uma geladeira. Durante o interrogatório, ele confessou que é fugitivo do Pavilhão 5 de Alcaçuz, como é mais conhecida a Penitenciária Estadual Rogério Coutinho Madruga. A fuga aconteceu em janeiro, durante as rebeliões que terminaram com pelo menos 26 detentos mortos. Ainda de acordo com a polícia, Francisco também confessou ter participado do assalto no shopping.
De acordo com a Polícia Civil, Francisco Danilo foi o idealizador do assalto à joalheria. No assalto, ele rendeu o segurança e começa a praticar o assalto quando o policial entra e atingido pelos tiros efetuados por Edivaldo Moura do Nascimento Neto. Depois dos disparos é ele quem pega a arma do Policial e sai correndo em fuga. O vídeo acima mostra o momento em que o PM Daniel Oliveira Pessoa é baleado.
A operação foi batizada de 'Covardia', já que o policial foi morto com tiros disparados pelas costas. Na primeira fase da operação, a arma roubada do policial foi encontrada com os dois homens presos em São Gonçalo do Amarante. Com Jesus Alisson Cavalcanti foi encontrada a arma do policial. “Durante o crime, não satisfeitos em matar, eles ainda roubaram a arma do policial”, relatou a delegada. Com Thiago Balbino da Fonseca, foram encontrados grampos usados para furar pneus de carros.
Durante coletiva de imprensa realizada após a prisão dos três primeiros suspeitos, a delegada Danielle Filgueira, responsável pelas investigações do caso, relatou detalhes da operação. “Nós descobrimos que todos os envolvidos com o crime são integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), três deles haviam fugido da Penitenciária de Alcaçuz na última rebelião, que aconteceu em janeiro. Como Edvaldo Moura estava solto, ele fazia o papel de articulador do grupo. Após a fuga do presídio, o grupo combinou para fazer o assalto à joalheria”, detalhou a delegada.

Nenhum comentário: