3a1

iure veiculos

iure veiculos

AM CARNES

AM CARNES

CREART

CLINICA TRAIRI

CLINICA TRAIRI

pedra cell

rede con

rede con

MARMORARIA

MARMORARIA

apolo

apolo

CASA DO MATUTO

CASA DO MATUTO

Drogaria Topázio

Drogaria Topázio

sábado, 22 de agosto de 2020

Semarh lança série que revelará registros surpreendentes feitos na região das nascentes do rio Potengi

O meio ambiente possui conexões entre os seres vivos e o meio natural numa relação de interdependência que torna importante o papel de cada agente natural, de cada ser vivo envolvido, incluindo o ser humano. A função dos seres vivos na natureza transmite esse equilíbrio, seja como espécies polinizadoras ou dispersoras de sementes, seja na influência da regeneração vegetal e até no controle da população entre as espécies da fauna. 

Alterações nessas relações podem causar desequilíbrio, de modo que a retirada de uma única espécie da fauna de um sistema pode causar efeitos em cascata, refletindo em muitas outras, como defendem especialistas. Neste sentido, é importante reconhecer essa interdependência na conservação da biodiversidade, como forma de abrir oportunidades para projetos e políticas ambientais públicas voltados para a qualidade ambiental da natureza com o envolvimento da sociedade.

A Coordenação de Meio Ambiente e Saneamento da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Comeas/Semarh) traz então a público a série temática “Bichos do Mato”, como forma de divulgar a importância dos animais silvestres na natureza, visando a qualidade ambiental do meio onde vivem. 

“A ideia foi pensada como uma forma de levarmos ao público em geral a fauna de regiões que precisam ter a sua devida conservação e preservação ambiental, divulgando a importância das espécies encontradas e o meio onde vivem, visando ações do poder público e da sociedade civil. Tanto que começamos pela fauna encontrada na região das nascentes do rio Potengi”, ressaltou o coordenador da Comeas, Robson Henrique.

Animais Silvestres da região das Nascentes do Rio Potengi

Marina Antongiovanni, subcoordenadora da Comeas fala um pouco mais daquela que será a primeira série temática envolvendo os animais silvestres da Caatinga Potiguar. “Bichos do Mato será inaugurada com registros de animais feitos durante o trabalho da Semarh de identificação de espécies de animais silvestres que vivem ou frequentam a nascente do rio Potengi”. Marina, que já desenvolveu trabalhos de pesquisa na caatinga potiguar juntamente aos pesquisadores da UFRN, explica que a região semiárida ocupa 90% do território do estado do RN e guarda uma diversidade de animais que nos apontam as melhores estratégias para pensarmos na preservação do ambiente local. 

“O levantamento de fauna na região foi feito a partir de uma parceria com o Projeto Caatinga Potiguar, da UFRN. Por meio do pesquisador Paulo Henrique Marinho, o projeto nos auxiliou cedendo e instalando, durante o mês de novembro do ano passado, nove armadilhas fotográficas que capturaram imagens das espécies presentes na área", completa a subcoordenadora. Foram encontradas espécies ameaçadas de extinção e uma quantidade de mamíferos que representa mais de 40% dos já registrados no RN, nos esclarece a pesquisadora da Semarh, Virgínia Paixão, ecóloga da Comeas.

Sobre a Agenda de Proteção das Nascentes do Potengi

Em junho do ano passado, um grupo de trabalho integrado por agentes públicos e representantes da sociedade civil criou um projeto voltado para Proteção das Nascentes do Rio Potengi com objetivo de estabelecer açõe grandes em prol da recuperação e conservação da região. Foram planejadas atividades científicas, educativas e de gestão que, além do foco preservacionista, prevê a utilização da nascente para fomentar a economia regional. Na prática, é o trabalho conjunto do estado e da sociedade civil reunindo ideias e ações já existentes, e incorporando novos elementos, para proteger e preservar o berço do rio que dá nome ao nosso estado. 

A Agenda de Proteção à Nascente do Rio Potengi é uma ação do Governo do Estado, por meio do Governo Cidadão, SEMARH (Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos), IDEMA (Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente), IGARN (Instituto de Gestão de Águas do RN), Emater (Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural) e Secretaria de Turismo. Os recursos do projeto são oriundos de empréstimo com o Banco Mundial, em parceria com a Prefeitura de Cerro Corá, Ministério Público Estadual, universidades, outras instituições públicas e entidades do movimento ambientalista. 

Nenhum comentário:

Acessos do blog